segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Show das escolas de samba nos Tanques




Depois de três anos sem realizar os desfiles das escolas de samba, a prefeitura de Porto Velho via Funcultural e Fesec, deu inicio ao Projeto “Não Deixe o Samba Morrer” com as agremiações filiadas à Fesec (a exceção foi a Unidos da Rádio Farol) se apresentando na noite do último sábado 28 no Parque Tanques, numa festa que segundo os carnavalescos mostrou o
quanto os sambistas da capital rondoniense, estavam e estão sedentos para mostrar suas habilidades, seja se apresentando como passista, mestre-sala e porta-bandeira, rainha da bateria, batuqueiros ou interprete de samba enredo.
Assim Diplomatas do Samba, Acadêmicos do São João Batista, Asfaltão e Acadêmicos do Armário Grande todas do Grupo Especial levaram ao Parque dos Tanques o têm de melhor em suas alas.

No mesmo dia e local, a parceria Federon e Funcultural promoveu o “Arrastão de São João” com a participação de todos os grupos de quadrilhas e bois bumbas que se apresentaram no Arraial Flor do Maracujá deste ano. Segundo comentários nas redes sociais, a festa, além de bem organizada foi das melhores. 

O Diário da Amazônia cobriu o evento pautando o fotografo Roni Carvalho para registrar os melhores momentos da festa que reuniu Samba, Forró e Toada de Boi.

Lenha na Fogueira

Grupo de Coco de Umbigada - Serra Talhada (PE)

 Depois de uma semana participando do IX Encontro das Culturas Populares e Tradicionais em Serra Talhada – Pernambuco, estamos de volta ao aconchego da temperatura de Porto Velho. Em Serra Talhada a média é 40 Graus.

********
Terra que respira cultura e de muita mulher bonita, além de ser o berço onde nasceu o Capitão Virgulino mais conhecido como Lampião e por isso é considerada “Capital do Xaxado”.

********
Registramos nossa indignação para com o Ministério da Cultura, apenas agora, depois de 8 encontros, resolveu convidar Rondônia.

******
Fui pra lá como Delegado, eleito em votação que aconteceu via Internet e presencial no dia 25 de setembro em Porto Velho. Poderíamos ter até três representantes, porém a turma das Culturas Populares de Porto Velho não compareceu na reunião presencial, que aconteceu no Teatro Palácio das Artes Rondônia em setembro em número suficiente para colocarmos três Delegados como representante da setorial. No final foi só esse amigo de vocês que só não foi totalmente engolido pelas “feras” da Cultura Popular no Brasil, porque é oriundo do beradão, local onde o medo dos encantados da floresta passa bem longe.


*********
Que a parada não é pra qualquer um posso garantir. Entre os Mestres de formação humilde porém de vasto conhecimento, nos deparamos com Doutores e Mestres de faculdade, pesquisadores afamados e curiosos despreparados.

********
Graças a nossa experiência no jornalismo cultural, conseguimos destaque entre todos. Agora posso bater no peito orgulhoso e dizer: Agora Sou Mestre reconhecido pelos Mestres em Cultura Popular de todo o Brasil. “Seja bem vindo Mestre Katraca” passaram a me tratar. O reconhecimento foi dos técnicos do Ministério da Cultura também. Alguns deles (do MinC) inclusive, pediram desculpas por ter deixado Rondônia sem participar dos encontros anteriores.

********
A partir de agora, Rondônia passa a fazer parte do calendário de encontros promovidos pelo MinC. É “cobra engolindo, cobra”. Por isso, considero super positiva, minha participação no Encontro de Serra Talhada.

********
Sexta feira dia 27, durante a reunião da “Rede de Culturas Populares” fui escolhido como secretário executivo no estado de Rondônia, nomeado e empossado.

*******
Na mesma reunião foi escolhida a cidade que vai abrigar o X Encontro.


A Rede das Culturas Populares na manhã da última sexta feira 27, no hall do hotel São Cristóvão em Serra Talhada (PE), deliberou em votação, que a cidade de Bragança no estado do Pará será a sede do X Encontro das Culturas Populares e Tradicionais no Brasil.

********
Bragança foi escolhida praticamente por unanimidade, pois a cidade concorrente, Rio de Janeiro, não obteve 1% dos votos.

********
O delegado Aurimar Araujo representante da Setorial do Patrimônio Imaterial, foi quem sugeriu e no final, quase não conseguiu agradecer de tão emocionado.

********
Programado para participar da Roda de Conversa com os Mestres da Cultura, o Ministro Juca Ferreira não compareceu à tenda Xukuru na tarde de sexta feira 27 e sua assessoria justificou, que o avião não conseguiu pousar em Juazeiro (BA), cidade perto de Serra Talhada, mesmo assim, a Roda aconteceu e foi muito boa, principalmente para Rondônia.

********
À noite, a programação cultural na Estação do Forró apresentou no Palco           “Lampião”, show com o Grupo Gambá de Maués (AM), Coco de Umbigada (PE) e finalizou com o show do Quinteto Violado.
*******
********

A região Norte, foi à única contemplada com dois Conselheiros com acento no Colegiado das Culturas Populares no biênio 2016-17, Valdo do Amazonas e Mestre Manoel do Pará.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Escolas de samba se apresentam no Parque dos Tanques

Acreditando na realização dos desfiles carnavalescos do próximo ano, as escolas de samba filiadas à Fesec, se apresentam hoje a partir das 17h00, no Parque dos Tanques pelo Projeto da Funcultural de Porto Velho “Não Deixe o Samba Morrer”.
Segundo o presidente da Fesec a prefeitura vai repassar a cada agremiação ajuda de custo para que as mesmas montassem suas apresentações para a noite de hoje e também no show da virada (Réveillon).
A ordem de apresentação no evento desta sexta feira obedece ao sorteio da ordem de apresentação nos desfiles do carnaval de 2016: Pelo Grupo de Acesso Acadêmicos da Zona Leste e Império do samba (a Unidos da Rádio Farol não vai se apresentar). Pelo Grupo Especial será: Acadêmicos do Armário Grande, Diplomatas do Samba, Asfaltão e Acadêmicos do São João Batista.
Cada escola de Samba deve se apresentar com Ala de Baianas, Mestre Sala e Porta Bandeira, Passistas e Rainha da Bateria e é claro a Bateria e seu Mestre além de ter que cantar o Samba de Enredo para o carnaval de 2016.
Quadrilhas e Bois Bumbás

A festa denominada “Arrastão de São João” coordenada pela Federon começou ontem com a inauguração da sede da Federação e dança de alguns grupo e prossegue na noite de hoje 28, logo após as apresentações das escolas de samba.  A programação de hoje começa às 17 horas com as escolas de samba e termina a meia noite com o “Arrastão de São João”. A entrada no Parque dos Tanques será gratuita.


LENHA NA FOGUEIRA


De um lado o rufar forte do ritmo do Maracatu, de outro, o som envolvente do Carimbó do Pará com os Mestres de Marapani e para alegrar mais um grupo de frevo mostra suas habilidades no Palco “Lampião”.
**********
Foi a programação da terceira noite do IX Encontro das Culturas Populares e Tradicionais que está acontecendo na cidade de Serra Talhada (PE) que ainda teve a famosa Lia da Ciranda. Lia está com 81 anos e é considerada uma das melhores cirandeiras do Brasil.
**********
Isso tudo depois de passar o dia todo nas reuniões de discussão sobre o futuro das Culturas Populares brasileiras com a participação do Secretário de Articulação Institucional do MinC Vinicius Voo.
**********
Porém a mais desgastantes foram as reuniões de articulação e formação de grupos que tem a pretensão de serem eleitos para o Colegiado das Culturas Populares cuja votação vai acontecer neste sábado. É guerra de foice.
**********
Os representantes dos sete estados da região Norte Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima, Macapá e Para se juntaram aos representantes dos estados do Nordeste. A estratégia é colocar o maior número de Conselheiros no Colegiado, superando as regiões Sul e Sudeste. Acho que essa composição vai dar certo.
**********
Cada macro região tem direito a três acentos no Conselho e três suplência se seguirem ao Regimento ao pé da letra. Se a composição Norte Nordeste der certo podemos colocar mais de dez representantes na titulação das 15 cadeiras disponíveis. Vamos à luta companheiro!
*********
Depois da apuração e o anuncio dos eleitos o Encontro será dado como encerrado e aí mermão a nossa turma embarca numa viagem de ônibus que dura quase sete horas entre Serra Talhada e Recife. Tudo para não perder o avião que sai de Recife às 11 horas e ainda teremos que passar por São Paulo, Brasília e na madrugada de domingo desembarcar no Governador Jorge Teixeira em Porto Velho.
*********
Muita coisa boa está levando em nossa bagagem, muitas ideias e projetos que vamos fazer de tudo para colocar na mesa de discussão com os compromissados com as Culturas Populares em Rondônia.
**********
Não importa se fomos eleito ou não para o Colegiado brasileiros das Culturas Populares, A troca de experiência entre os parceiros de todo o Brasil nos fortalece na luta pelo desenvolvimento das Culturas Populares em Rondônia.
*********
Apesar de muito distante da capital Recife Serra Talhada é uma cidade pernambucana que respira cultura. Basta dizer que foi em Serra Talhada onde nasceu Virgulino o Lampião. No Museu do Cangaço você conhece toda a história dos “Heróis” do sertão Nordestino.
**********
 Pertinha de Caruaru Serra Talhada tal qual Porto Velho é cidade Polo. Tudo passar pela Serra por isso o PIB da cidade é dos melhores no estado de Pernambucol. A crise passa por detrás da Serra. Além de ser a capital do Xaxado é a cidade da boa acolhida. O calor é quase igual ao nosso o que me deixou a vontade e sem reclamar como reclamavam o pessoal do Sul.
**********
O segmento cultural mais representado no encontro foi Culturas Afro-Brasileiras, principalmente os de Religiões de Matrizes Africana – Terreiros. É Pai e Mãe de Santo pra tudo que é lado. É uma turma legal e muito receptiva. Fiz amizade com muitos Pais de Santo.
*********
Daqui a pouco serei considerado “Babalorixá”. Axé mifio.
********
Para encerrar, espero que o evento que começou ontem e termina hoje no Parque dos Tanques seja coberto de sucesso.
*********
No mais espero festejar minha eleição para o Colegiado Brasileiro das Culturas Populares. Axé!


Maracatu, Carimbó e Cabloquinho – É Serra Talhada


A programação do IX Encontro das Culturas Populares proporcionou aos mais de 500- Delegados e Mestres presentes shows com grupos de Carimbó de Parapanin (PA), Maracatu de Recife, Caboclinho e da Cirandeira Lia que está com m ais de 80 anos e encanto cantando as cirandas tradicionais.
Ontem à tarde o Ministro Juca Ferreira participou da conversa com mestres e mestras de cultura e ouviu as revindicações da categoria. Já, durante todo o dia de quinta feira 26 as várias setoriais discutiram políticas públicas para cada Setorial, na reunião da setorial de Culturas Populares o Secretário de Articulação Institucional do MinC Vinicius Voo, não arredou o pé um só minuto e fez questão de anotar nossa fala quando nos referimos ao carnaval de Porto Velho em especial ao da Banda do Vai Quem Quer “que leva senhor secretário, mais de 100 Mil foliões pelas ruas de Porto Velho e até hoje não foi reconhecida como patrimônio Imaterial do nosso estado quiça nacional”.
A quinta feira, também foi o dia dedicado às articulações para ver qual a região que vai contar com maior número de representantes no Colegiado que vai eleger o representante das Culturas Populares no Pleno, aquele que vai participar das reuniões no Ministério da Cultura. A discussão continuou na manhã de ontem. Neste sábado será a eleição e a amanhã o retorno às cidades e estados de origem. O representante das Culturas Populares de Rondônia Silvio M. Santos foi eleito representante da Rede das Culturas Populares no Estado.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Lenha na Foguwira - 26.11.15


To estranhado a ausência dos representantes de Rondônia das Culturas Afro Brasileiras, Artesanato e Patrimônio Imaterial além do representante dos Povos Indígenas no IX Encontro das Culturas Populares e Tradicionais que está acontecendo no município pernambucano de Serra Talhada.
**********
Tem Pai e Mãe de Santos de tudo quanto é canto do Brasil, só não tem de Rondônia. E olha que na Lista de Convocados do Ministério da Cultura consta o nome do(a) representante de Rondônia.

********
O Artesanato pelo menos até ontem a noite também não contava com representante, o eleito foi o Antenor Karitiana que perdeu o vôo segunda feira e tava batalhando pra embarcar ontem. Não sei se conseguiu.

********
Apenas esse “cabra” como dizia Paulo Queiroz, está presente representando a Setorial das Culturas Populares. Sem quorum vou batalhar pra conseguir uma vaga nem que seja de suplente do suplente no Colegiado da nossa Setorial para Rondônia. Não vai ser fácil, pois, aqui só tem fera!
********
Bom e amanhã sexta feira acontece a festa de inauguração da sede da Federação de Grupos Folclóricos de Rondônia – Federon. O babado como dizem os quadrilheiros, vai acontecer no Parque dos Tanques.

*********
Severino Castro comandou a reforma do barracão do Parque dos Tanques onde já esta funcionando desde o Flor do Maracujá a Federon.

*********
Os presidentes dos grupos folclóricos se responsabilizaram pelas comilanças e bebemorações. Em nome do presidente Fernando Rocha parabenizo toda a equipe da Federon e os dirigentes de grupos folclóricos pela conquista.
*********
A festa começa as 16h00 e termina com as apresentações dos grupos folclóricos dentro da programação “Arrastão de São João” fora de época, que começa sexta feira e só termina no sábado.

**********
Aliás, sábado no mesmo local, ou seja, Parque dos Tanques vai acontecer o evento “Não Deixe o Samba Morrer”, uma parceria da Funcultural com a Fesec e as escolas de samba.

********
Segundo o presidente da Fesec Hudson Mamede as apresentações das escolas de samba estão confirmadíssimas, e começa as 17h30 de sábado dia 28, com a escola Acadêmicos da Zona Leste seguida da Império do Samba, Armário Grande, Diplomatas, Asfaltão e Acadêmicos do São João Batista.
********
As escolas do grupo de acesso tem que se apresentar com no mínimo 03 baianas, casal de mestre sala e porta bandeira, e apresentar o samba enredo para o carnaval de 2016 além da bateria e sua Rainha.

*********
As escolas do grupo especial tem que se apresentar com no mínimo 05 baianas, casal de mestre sala e porta bandeira, Rainha da Bateria e mulatas sambistas e o samba enredo para 2016.

*********
A escola de samba Unidos da Rádio Farol não vai se apresentar porque foi punida ficando sem receber o cachê relativo a esse evento especifico. A punição foi em virtude da Rádio Farol não ter cumprido o compromisso de se apresentando no “Esquentando os Tamborins” coordenado pela Fesec. Perdeu mais de R$ 7 MIL.


Enquanto isso a turma do Asfaltão tá confundindo a fala do Jorjão presidente da Funcultural. Quando ele diz que as escolas vão se apresentar por conta do cachê do “O Samba Pede Passagem”, no dia 31 de dezembro, não quer atrapalhar o desfile do nosso querido “Mistura Fina”. As escolas vão se apresentar durante o show da Virada que segundo minhas fontes, contará também com o show do “Monobloco” do Rio de Janeiro.

*********
Pois é. Quadrilhas, Bois Bumbás e Escolas de Samba tudo junto e misturado sábado no Parque dos Tanques.

********

E eu dançando xaxado em Serra Talhada! “Olê Mulé Rendeira; Olê Mulé Rendá”! 

Culturas Populares - Encontro em Serra Talhada

Com as apresentações dos grupos folclóricos “Boi da Cara Branca” e “Os Cabras de Lampião – Xaxado” foi aberto na Estação do Forró em Serra Talhada (PE), o IX Encontro das Culturas Populares e Tradicionais do Brasil.
Autoridades do Ministério da Cultura e da prefeitura de Serra Talhada discursaram exaltando a iniciativa do Ministro da Cultura em levar o evento para Serra Talhada cidade que fica ha mais de 400 km da capital Recife e que só tem acesso via terrestre. “Graças ao esforço do nosso prefeito e a compreensão do Ministro Juca Ferreira esse encontro esta acontecendo aqui em Serra Talhada que já é considerada a capital do Xaxado e agora passa a ser considerada a Capital da Cultura Popular”, disse o secretário municipal de Cultura.
Os fóruns com as discussões sobre as políticas públicas começam na realidade na manhã desta quinta feira 27 e terminam no sábado 28, com a eleição dos Colegiados das Setoriais e do representante do Pleno.
Nesta quinta feira 27, o Seminário Cultura e Pensamento: Arte na Diversidade Cultural - Um dos objetivos do encontro, cujo anfitrião será o ministro da Cultura, Juca Ferreira, é debater a necessidade de uma compreensão ampla das expressões culturais. O evento começa com um debate sobre Arte na Diversidade Cultural – Ética e Estética. Mediada pelo secretário de Políticas Culturais do MinC, Guilherme Varella, a discussão contará com a presença do escritor e pesquisador Bráulio Tavares, do jornalista e escritor Raimundo Carrero, do poeta, repentista e cantador Mestre Bule Bule e da quebradeira de coco babaçu e quilombola Mestra Dona Digé. 
No sábado, às 9h, será realizada mesa com o tema O protagonismo cultural e o diálogo entre os saberes. Estarão presentes o historiador, escritor, professor e dramaturgo Adriano Marcena; o antropólogo e professor da Universidade de Brasília (UnB) José Jorge de Carvalho; e a raizeira e especialista em farmácia tradicional Mestra Lucely Pio. 

Às 11h do sábado, ocorre o último debate, com o tema A influência do Sertão nas identidades culturais do povo brasileiro. Participam o escritor e pesquisador Anildomá Willians de Souza, especialista em história do cangaço; o poeta e pesquisador de cultura popular Ésio Rafael; e o jornalista, poeta, fotógrafo e diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial do Iphan, TT Catalão.

Para o secretário Guilherme Varella, esta edição do seminário vem para destacar a diversidade da cultura brasileira, valorizando expressões muitas vezes ignoradas ou discriminadas por não se encaixarem no perfil branco, cristão e capitalista, como as dos terreiros, quilombolas, indígenas e das periferias das grandes cidades. 

"As políticas culturais não podem ser pensadas com ênfase exclusiva nas manifestações artísticas consolidadas. Precisamos incorporar a diversidade, o maior patrimônio cultural da população brasileira, cultivando infinitas possibilidades de criação simbólica, como modos de vida, crenças religiosas e identidades", destaca Varella. 

O IX Encontro de Culturas Populares reúne representantes das setoriais: Artesanato, Patrimônio Imaterial, Culturas Populares, Culturas Afro Brasileiras e do Colegiado Indígena.
Estação do Forró

A Estação do Forró conta com espaço para realização de multi-eventos, Academia de Letras de Serra Talhada, Feira de Artesanato, Praça de Alimentação e o mais visitado Museu do Cangaço. O Capitão Virgulino nasceu em Serra Talhada e ficou famoso como Lampião. “Já não sabemos se Lampião foi herói ou bandido, pra nós de Serra Talhada ele foi e é muito importante”, disse o secretário de cultura.

Com todo mundo arrastando a sandália no chão, a primeira noite do evento terminou com a dança do xaxado comendo no centro.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

LENHA NA FOGUEIRA - 24.11.15


 De hoje até domingo, participaremos do IX Encontro das Culturas Populares e Tradicionais – Raízes em Movimento, que vai acontecer em Serra Talhado no estado de Pernambuco. Durante praticamente uma semana estaremos discutindo políticas públicas para o Setor e tentando nos eleger representante da Região Norte na Setorial das Culturas Populares no Conselho do Ministério da Cultura.


*********
Para chegar nesse encontro, passamos por uma eleição que foi realizada no final do mês de setembro em Porto Velho e reuniu integrantes do movimento Culturas Populares no Teatro Palácio das Artes. Fomos eleitos e por isso estaremos representando a Setorial em Pernambuco.

********
Representantes de outras Setoriais como da música, artes visuais, artes digitais, teatro, arquitetura entre outras, desde o início deste mês participaram dos encontros de cada Setorial especificamente e alguns de Rondônia foram eleitos para representar sua setorial junto ao Conselho no Ministério da Cultura.

********

Serra Talhada será o Centro da maior Celebração da Cultura Popular do Brasil. Música, Cinema, Seminários, Rodas de Conversa, Artesanato, Encontros, Cortejos, Teatro, Poesia, Dança, Política, Cidadania, Gastronomia e Palco Livre.

********
Fórum Nacional e eleição dos Colegiados Setoriais das Áreas de Culturas e Povos Tradicionais do CNPC, Roda de Conversa com o Ministro da Cultura Juca de Oliveira.


********

Por falar em Cultura Popular, no próximo sábado dia 28, a Funcultural em parceria com a Federação das Escolas de Samba e Federação de Grupos Folclóricos vai realizar uma super apresentação.,


As escolas de samba vão se apresentar com bateria, ala de baiana, mestre-sala e porta-bandeira, e alguns sambistas, e ainda vão apresentar os sambas enredos para o carnaval de 2016. As Rainhas das Baterias serão as grandes atrações.

********
A programação está marcada para começar as 18h00 com a primeira parte sendo utilizada pela Federon colocando na passarela alguns grupos de quadrilhas e bois bumbás.

********
Entre as 20h00 e 21h00 será a vez das escolas de samba de Porto Velho filiadas à Fesec mostrarem seus enredos para o carnaval de 2016.

********
Após as apresentações das escolas de samba prossegue o “Arrastão de São João”. No mesmo dia a Federon promoverá a entrega dos troféus dos campeões do Flor do Maracujá inclusive dos melhores personagens.

********
Por falar nisso o Corre Campo vai receber uma “porrada” de troféus entre eles destacamos o de melhor grupo de Boi Bumbá de 2015, Melhor Porta Estandarte (Ana Célia Santos), Levantador e Melhor Toada (Silvinho), Melhor Sinhazinha da Fazenda (Carol), Melhor amo de Boi (Sílvio Santos), Melhor Apresentador (Allan Veck), Melhor Ritual e Pajé (Cleiton Lopes). Isso é o que estou me lembrando.


Posso garantir que vai ser uma festa pra ninguém botas defeito, a não ser quem não vai receber nenhum troféu como é o caso do Tira Teima e a turma do” Vencedor”.

********
Outra entidade que vai ficar fora da programação é a Escola de Samba Unidos da Rádio Farol que foi punida pela direção da FESEC por não comparecer as reuniões da entidade e p foi pior não justificar a ausencia. Ficou fora da apresentação e do rateio dos recursos. E agora Cristóvão?



Já falamos do espetáculo que foi a apresentação da Amazonas Filarmônica pelo Projeto Música Na Estrada. Agora vamos falar da Mancada da `produção do Música na Estrada.

*********
Sexta feira dia 20 a noite a frente do Teatro Palácio das Artes Rondônia estava cheia de gente. Acontece que a Produção do Música na Estrada esqueceu de divulgar que apesar de constar no fôlder da Programação a apresentação do Corpo de Dança do Amazonas foi suspenso porque os produtores do Projeto não conseguiram passagem aérea para os integrantes do Grupo.

********
Inclusive alguns meios de comunicação, baseados apenas na programação distribuída, chegou a divulgar que o Corpo de Dança do Amazonas se apresentaria sexta feira 20 no Palácio das Artes dai muita gente ter ido para o teatro.



A Produção do Música na Estrada pisou na bola ao não informar a população de Porto Velho que o espetáculo de dança não aconteceria. A direção da Funpar não tem nada a ver com isso. Era isso!

********

Tô em Serra Talhada!

LETRA DO SAMBA DA ESCOLA SÃO JOÃO BATISTA

Da jardineira ao Ecoturismo: Assis e Nair
O Sonho Virou Realidade e Foi Além

Letra e Música de Sílvio M. Santos
Interprete: Cláudio Roca (Banana Split)
Cavaquinho: Walci Nonato


Voa minha Águia
Contando a história de um casal empreendedor
Ô, Ô Ô Ô Ô                                                                          (B I S)
Assis e Nair
Abençoado pela Mãe do Criador.


De engraxate a vendedor de pinga
Máquina de costura, rádio receptor
Fazendo as linhas do Mato em Cascavel
Onde essa história começou!

Canta São João Batista
Roda Baiana, Treme Terra tudo bem          (B I S)
A partir da Jardineira
O Sonho de Assis foi mais além

Hei NAIR
Um novo Eldorado está surgindo
É muita chuva, lamaçal, muito atoleiro
Mas, pioneiro nunca deve desistir
RONDÔNIA onde o céu é mais azul
O PROGRESSO desembarca viajando na EUCATUR

Aquela Jardineira hoje é um Grupo
Jornal impresso, emissora de TV
Rádio, Faculdade empreendimentos                                   (B I S)

É carnaval, São João Batista SGC!

GRES São João Batista apresenta samba


Sexta feira passada dia 20 a Escola de Samba Acadêmicos do São João Batista apresentou o samba enredo para o carnaval de 2016, no programa “Fala Rondônia 2ª edição”, levado ao ar pela RedeTV/RO e apresentado pelo jornalista Adão Gomes.

A escola presidida pelo carnavalesco Alberto Rodrigues vai apresentar no carnaval do próximo ano o tema: “Da Jardineira ao Ecoturismo, Assis e Nair o Sonho Virou Realidade e Foi Além”. É a história do casal Assis e Nair Gurgacz que trouxe no início da colonização de Rondônia a Empresa Eucatur que se transformou numa das maiores do Brasil, além de implantarem o Jornal Diário da Amazônia, Rádio Alvorada de Ji Paraná, RedeTV/RO e mais recentemente a Rádio Globo/RO, empresas que fazem parte do Sistema Gurgacz de Comunicação – SGC. “Nossa viagem começa em Cascavel no Paraná e chega à Rondônia onde o casal contribuiu consideravelmente com a colonização do que hoje é um dos maiores estados da região Norte e do Brasil”, disse o presidente da escola Alberto Rodrigues - Pai Beto
A pesquisa sobre a história de Assis e Nair foi feita pelo Pai Beto, Sílvio santos e Marcelo Henrique que se reuniram com a direção do Grupo na pessoa da senhora Ana Gurgacz de quem recebem o aval para transformar a história do empreenderes em enredo da escola de samba.
O samba é de autoria de Sílvio M. Santos interpretado pelo Cláudio Roca (Banana Split) com o cavaquinho de Falci Nonato. Veja a letra:

sábado, 21 de novembro de 2015

SANDRO BACELAR - Para alegrar a saudade do show Momentos de Amor

Sandro Bacelar recentemente se apresentou na Itália no Festival Brasileiro de Música de Bologna alcançando muito sucesso. “Inclusive fui convidado a participar da programação da RAI”. De volta a Porto Velho, Sandro está trabalhando na produção do show “Momentos de Amor” que vai acontecer na casa “Mandacaru” no próximo dia 28 e com a produção do Cordeiro Júnior está preparando a festa de lançamento do CD “Alegrar sua Saudade” que vai acontecer no dia 12 de dezembro no Teatro Guaporé.
Sandro Bacelar - Iniciou vida artística em 1982, com a gravação de compacto duplo, com composições próprias e de compositores de Porto Velho-RO. Ao gravar o compacto Obstáculos usava o nome artístico de Sandro Bacell. Dois anos depois se mudou para o Rio de Janeiro onde deu prosseguimento à sua carreira musical e gravou um novo compacto, desta vez apenas com composições de sua autoria e adota o nome de Sandro Bacelar.
Em 1986, transfere-se para o interior a cidade de Taubaté (SP) onde ingressa na vida acadêmica no curso de Letras. De volta a Porto Velho, em 1991, começa a se envolver com a música regional produzida na Amazônia e cria, em parceria com o poeta e compositor Binho, o movimento Beradeiros do Porto, por meio do qual se apresentou na 1º Convenção Mundial do Meio Ambiente, ECO 92, nas cidades de Campos do Jordão e São Paulo.
A partir de 1998, junto com Gioconda Trivério, forma o Duo Pirarublue. No ano seguinte recebe convite para excursionar com 14 BIS, abrindo os shows do grupo nos estados do Acre, Mato Grosso e Rondônia. O Duo Pirarublue se apresenta em 2002 na Dinamarca no AHUS Festüge, a convite da curadoria do festival.
Uma pesquisa iniciada em 2004 sobre a obra do poeta Noel Rosa rendeu para o Duo Pirarublue a gravação de três CDs, sendo o último comemorativo ao centenário de nascimento do poeta da vila, que conta com a participação de Miéle em uma das faixas.
Em carreira solo a partir de 2011, Sandro volta a se apresentar com repertório de músicas regionais e clássicos da música popular.

ENTREVISTA


Zk – Vamos falar sobre a produção do CD?
Sandro – O CD “Alegrar sua Saudade” foi produzido aqui no Brasil com o pessoal do Zeca Baleiro, Adriano Magu que fez os arranjos, tem a participação do Sergio Spindola irmão da Tetê que fez todos os baixos do disco e os vocais e cantou a música “O Plantador” comigo.
Zk – Como surgiu o convite para você participar do Festival na Itália?
Sandro – Desde quando eu cantava no Pirarublue essa minha amiga da Itália me convidava pra ir. Agora no começo do ano quando comecei a gravar esse CD começamos a trocar mensagens e ela me falou que tinha um Festival que aconteceria em setembro em Bolonha. Um Festival não só de música mas, de cultura brasileira e ela me disse que tinha acesso ao pessoal da curadoria do Festival e se eu quisesse, ela me ajudaria nessa empreitada. Fiquei muito contente porque infelizmente ainda é preciso sair do país da gente pra poder ser reconhecido.
Zk – E na Itália como você foi recebido?
Sandro – Fiquei lá durante três meses, me apresentei no festival onde lancei o disco Alegrar sua Saudade. Como é um disco novo meu, diga-se de passagem, tenho 35 anos de carreira e até então não tinha um disco solo em CD. Gravei solo ainda no tempo do vinil, depois fui pro Piraruble duo onde participei da gravação de alguns CDs, mas, o Sandro Bacelar mesmo, nuca gravou por isso, esse é meu primeiro CD solo. Daí Alegrar sua Saudade, um disco que eu queria que fosse pra cima, um disco que as pessoas pudessem dançar, se confraternizar.
Zk – Como foi selecionado o repertório do CD?
Sandro – Gravei os meus companheiros daqui Augusto Silveira, Laio, Mestre Binho, Waldison Pinheiro e Mávilo Melo e gravei uma música muito importante que é “A Cor do Futuro” do Zezinho Maranhão inédita que ele fez para um show meu acho que em 1995 e como não cheguei a concluir o show a música ficou engaveta e agora resolvi gravá-la agora. É uma música muito bacana que fala do preconceito racial, aliás do preconceito da cor não da raça. O repertório também é muito focado nos ritmos nordestinos, gravei baião. Xote e baladas, também gravei alguns compositores de São Paulo como Celso Viáfora.
Zk – Esse disco já faz sucesso na Itália?
Sandro – Graças a Deus! Inclusive, após o Festival recebi convite da grande Mafalda Minozi para me apresentar na RAI, acontece que já estava com a passagem comprada e marcada e a apresentação da RAI seria no final do mês de outubro e minha passagem era para o dia 26 e não deu pra desmarcar.
Zk – Depois desse sucesso todo, existe a possibilidade de você voltar à Itália para se apresentar cantando?
Sandro – Sim, ano que vem vou retornar. O Festival tem um tema, este ano foi os 450 anos do Rio de Janeiro e ano que vem o tema será a Amazônia e o enfoque será o “Carimbó”. Já fui convidado pela Curadoria para voltar, inclusive...

Zk – Inclusive o que?
Sandro – Gostaria que você passasse a informação para os leitores: Quem quiser participar do Festival que traga seu material pra mim.Fui habilitado a recolher esse material e passar para a direção do Festival. Em suma, me nomearam curador do Festival para a nossa região. Voltando a falar da minha participação, o pessoal do Festival tem um programa de rádio chamado “Rádio Balangandan” e esse programa é transmitido pela segunda rede de rádio da Itália que é a Rádio Citá Del Capu e eu fui convidado a dar uma entrevista nessa rádio porque já estava tocando nossa música lá e foi muito bacana. A entrevista durou aproximadamente 20 minutos e tinha até interprete. Além disso alguns jornais de circulação local e alguns de circulação nacional, postaram matérias falando muito bem do nosso trabalho.
Zk – Agora de volta a Porto Velho você vai promover o lançamento oficial do CD, quando e onde vai acontecer a festa?
Sandro – Vou fazer dois shows aqui em Porto Velho, um vai acontecer no dia 28 no Mandacaru, diga-se de passagem, esse show não será o lançamento do CD, é um show que venho fazendo a algum tempo chamado “Momentos de Amor” e durante essa apresentação foi cantar algumas músicas do CD novo.
Zk – E o lançamento do CD?
Sandro – Essa festa vai acontecer no dia 12 de dezembro no Teatro Guaporé quando o repertório será apenas do disco ‘Pra Alegrar sua Saudade’. Sobre o repertório do CD lá de São Paulo regravei uma música do Augusto Jatobá que foi gravada pelo Xangai uma letra ecológica. Aliás esse meu repertório está muito focado na ecologia. Ele fala da preservação e da cultura a exemplo de “Terreiros” do Laio que fala das brincadeiras do nosso tempo de criança. Então gravei essa do Augusto Jatobá que chama “Matança”, gravei outra do Sérgio Spindola “O Plantador” que é a história de um cara que sozinho plantou uma floresta na Serra da Cantareira em São Paulo e gravei um compositor muito importante que é o Cleber Albuquerque que ultimamente teve trabalhos gravados pela Zélia Ducan e pelo Ney Matogrosso e dele gravei a música “Por Onde”.
Zk – Para encerrar. Como as pessoas podem participar do show do Mandacaru?
Sandro – Esse show vai acontecer no próximo dia 28 a partir das 23 horas e você chega adquiri o ingresso entre e escolhe a mesa e senta, sem muita firula. Conto com o apoio do Rondoniaovivo, Promove Brinde e da Academia da minha amiga Berenice Simão e é claro do Diário da Amazônia através do Zekatraca. O lançamento do CD vai acontecer no dia 12 de dezembro no Teatro Guaporé com a produção do Cordeiro Júnior. 

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Lenha na Fogueira - 21.11.15



Quinta feira passada 19, na fila esperando as Portas do Palácio das Artes Rondônia abrirem, para assistir o show da Amazonas Filarmônica.

*********
Aliás, a fila tava chegando ao prédio do Ministério Público do Trabalho, ou seja, mais de duzentos metros da porta do Teatro. Só pra você fazer ideia como tinha muita gente na fila.

*********
Isso antes das sete horas da noite. Fui até as proximidades da porta e me surpreendi com uma senhora dizendo horrores sobre as “condições” do teatro.
**********
A conversa era com outras senhoras que também estavam na fila com a intenção de assistir o show Música na Estrada.

*********
Falava a senhora de cabelos grisalhos, provavelmente beirando a terceira idade:

*********
“Esse teatro está cheio de pulga, rato e sujeira, além dos cupins que ficam perturbando quem está sentado nas poltronas”.

********
Ao ouvir tamanha aberração, encostei e fiquei assuntando a conversa da “jovem anciã”. E ela insistia em repetir a estória das pulgas, dos ratos e dos cupins pra quem encostava.

********
Então indaguei: Por acaso a senhora já entrou aí no teatro? Ela respondeu que não!
*********
E quem foi que lhe disse que o teatro está infestado de tudo isso?
***********
Escutei numa Rádio o pessoal comentando e falando que o teatro estava com tudo isso e também o ar condicionado não estava funcionando...

*********
Fiquei preocupado com o quanto nós jornalistas, repórter, apresentador de programa de rádio e TV, podemos contribuir com a violência em todos os níveis sociais.

*********
Isso se usarmos a profissão como ferramenta do mau. Como ferramenta de revanche por não conseguirmos algum benefício seja de que naipe for, o chamado “jabá”.

*********
A senhora da fila do teatro, estava apenas repercutindo o que havia escutado num programa de rádio. Programa que também ouvi.

*********
O apresentador do programa, com aquela voz de “dono da verdade”, bradava, que o teatro Palácio das Artes Rondônia estava empestado de tudo quanto era praga. “Tá pior que castigo de Deus em cima dos egípcios na novela Os Dez Mandamentos”.

*********
Pelo que sei, o locutor em apreço, nunca colocou os pés sequer, na calçada do teatro para ver as obras do Julio Carvalho, quanto mais ter assistido qualquer função levada em seu palco.
*********
Não fora a queda de energia que ocorreu bem antes das portas do teatro ser abertas, tudo teria corrido na mais tranquila organização, pois, o ar condicionado funcionou tão bem que tinha gente dizendo que estava com frio. 

*********
Os cupins ninguém sabe ninguém viu. O resultado de tudo, foi um super espetáculo musical, proporcionado pela Amazonas Filarmônica e em especial pelo maestro Marcelo de Jesus.

*********
Quanto à senhora que estava repercutindo a má noticia dada pelo apresentador do programa de rádio, procurei e não consegui encontra-la no final do espetáculo, para saber sobre as pulgas, ratos e cupins e principalmente sobre o “calor”. 
**********
Diz a ética do jornalismo: O bom repórter tem a obrigação de ouvir as duas partes e não sair fazendo julgamento por seu livre e irresponsável raciocínio!
*********
O apresentador do programa deveria ter escalado um repórter para ouvir o público no final do espetáculo, que o Projeto Música na Estrada nos proporcionou, trazendo a Amazonas Filarmônica a Porto Velho.

*********
Pelo menos por enquanto, a direção da Fundação Palácio das Artes Rondônia – FUNPAR está merecendo nossos elogios, pelo funcionamento de toda a estrutura dos teatros Guaporé e Rondônia.

********
O resto é conversa fiada de quem não procurar se informar!

Amazonas Filarmônica – Espetacular no Palácio das Artes

Soprano Carol Martins e o Maestro Marcelo de Jesus
Ainda não tinha anoitecido, mas, o público já estava na fila aguardando a abertura do Teatro Palácio das Artes Rondônia, para assistir a apresentação da Orquestra Amazonas Filarmônica através do Projeto Música na Estrada na noite de quinta feira 19.
A abertura do Teatro marcada para as 19h00, em virtude de queda no sistema de energia que abastece os teatros Guaporé e Rondônia, só aconteceu as 19h15. Com lotação parcial do teatro, o produtor nacional do Musica na Estrada Fernando Ramos anunciou o inicio do espetáculo.

Marcelo de Jesus

O maestro Marcelo de Jesus pode ser considerado além de ótimo regente como show man, sua simpatia conquistou o público que parcialmente lotou o Teatro na noite de quinta feira. “Temos como propósito fazer da música erudita um programa prazeroso e não cansativo” anunciou. E assim foi mostrando o repertório da Amazonas Filarmônica composto de obras clássicas que se tornaram conhecidas pelo grande público, ao serem utilizadas como trilha sonora de alguns filmes.
 De repente uma voz ecoa pelo teatro, e todos procuram de onde está vindo aquele som maravilhoso, do meio da plateia a cantora soprano Carol Martins surge cantando e encantando apenas o trecho de uma opera italiana.
O garotinho foi convidado a reger a Filarmônica
O show do maestro Marcelo continuou e para fazer a apresentação dos naipes de instrumentos, ele convidou algumas pessoas da plateia a subirem ao palco e os posicionou ao lado de cada conjunto instrumental e foi descrevendo ou contando a história de cada um. “As flautas são da família das madeiras, as trompas e os trompetes da família dos metais” e assim foi descrevendo cada naipe. O teatro quase vai abaixo quando o maestro convidou um garotinho para reger com ele uma das peças musicais, o menino mostrou que leva jeito e foi super aplaudido pelos presentes. Outra garotinha foi convidada assim como alguns adultos para falar sobre determinados instrumentos. “O maestro realmente fez a diferença nessa apresentação” saiu elogiando Hiran Brito. Seu Euro Tourinho apesar de ter gostado da apresentação, disse que por se tratar de uma filarmônica o maestro deveria ser mais “sério”.
A apoteose da apresentação e encerramento do Projeto Música na Estrada 2015, foi com a cantora Carol Martins acompanhada pela Amazonas Filarmônica cantando o clássico de Ary Barroso “Aquarela do Brasil”.
De pé o povo pedia mais uma, mais uma! Marcelo Jesus após apresentar de um por um os músicos de cada naipe de instrumentos, saiu do palco, foi mais uma brincadeira, porque logo em seguida surge de microfone em punho perguntando: “Qual música vocês querem ouvir novamente, a primeira ou a última?” o público optou pela primeira e a Orquestra atendeu e foi calorosamente ovacionada de pé.

Em Porto Velho o Projeto Música na Estrada contou com o apoio institucional do governo estadual, Fundação Palácio das Artes Rondônia - Funpar e apoio de mídia da Rede Amazônica de TV e Diário da Amazônia.