sexta-feira, 18 de junho de 2021

Lenha na Fogueira

 


O diretor de carnaval Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, conhecido como Laíla, morreu de Covid nesta sexta-feira (18), aos 78 anos.

 

**********

Laila em o diretor de gravação do samba de nossa autoria (Silvio M. Santos), em parceria com o Baba e o Haroldo Dore: “Ceará, Lendas, Rendas e Crenças – ará de Iracema”, no ano de 1974.

**********

Quem fez o contato à época, foi o Hiran Brito Mendes e então o samba enredo foi gravado nos estúdios “Transamérica” no Rio de Janeiro e o resultado os carnavalescos da época conhecem, no mesmo disco também foram gravadas as músicas “Hino da Banda do Vai Quem Quer” e o samba de minha autoria “Exaltação ao Caiari”.

***********

No mesmo disco

 

**********

Depois, em 1987, Laila mais uma vez foi o produtor de um samba de nossa Autoria desta feita em parceria com o Aluísio Bentes “Empurrando Vai” para o carnaval e 1988, porém em virtude de um incêndio na fábrica de carnaval onde a maioria das fantasias da escola estavam sendo confeccionadas, fez com que o desfile daquele ano fosse suspenso. Mas, o Compacto com o samba foi gravado e chegou a ser lançado. Também no mesmo disco foi gravado o samba de minha autoria “Nosso Barracão Subiu”.

*********

Por essa e tantas outras é que sentimos o falecimento do Laila. A partir da gravação dos sambas da Caiari ele se tornou grande amigo do nosso saudoso Hiran Brito.

************

Laíla deixa uma legião de admiradores que o viram revolucionar o espetáculo da Marquês de Sapucaí ao longo de mais de 50 anos de trabalho, diz uma nota expedida pela escola Beija Flor de Nilópolis, onde ele trabalhou por quase 30 anos.

 

**********

O diretor estava internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Israelita Albert Sabin, na Tijuca, Zona Norte do Rio. Laíla teve uma parada cardíaca por volta das 11h30 desta sexta.

***********

Descansa em paz amigo!

**********

E as festas juninas? Em tempo normal estaríamos saindo do primeiro Arraial, o Flor de Cacto que há muito tempo acontece na Zona Sul de Porto Velho. Estaríamos acompanhando os primeiros campeões de uma festa junina em 2021 e já nos preparando para o grande Arraial Flor do Maracujá.

*********

O que estamos estranhando, é que nenhum grupo, pelo menos até agora, realizou pelo menos uma live sobre as festas juninas. O público está aguardando ansioso o São João das Estrelas e tantas outras festas que pelo menos no ano passado, aconteceram virtualmente.

**********

Estamos vendo o mês de junho acabar, e nenhum grupo se preocupa em fazer alguma coisa, pelo menos para lembrar o Flor do Maracujá.

***********

Alô FEDERON e UNAJUPE vamos fazer alguma coisa para lembrar que em Porto Velho o São João é muito bom.

**********

Vamos ficar aguardando uma resposta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cachoeiras de Teotônio por Angella Schilling.

 


Tive o privilégio de conhecer as Cachoeiras de Teotônio, um pouquinho antes delas desaparecerem, devido às obras da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio.

Era outubro de 2009. Falava-se muito da Cachoeira em tom de pesar, em triste lamento.

Finalmente consegui ter um tempo livre para ir à Vila de Teotônio.

O dia estava parcialmente nublado, ainda assim foi possível constatar toda beleza que só a própria Natureza é capaz de criar.

Senti um total deslumbramento, uma sensação de liberdade, diante da força, do poder dessas águas.

Uma senhora majestosa, dona do próprio destino, mulher com o terrível poder decisório, dona da vida e da morte.

Ai do incauto que não avaliasse os riscos em sua aventurava, numa travessia, numa pescaria...

Foi uma compulsão. Queria registrá-la. Sua imagem ficou guardada comigo, até que me surpreendi, preenchendo um papel com seus encantos.

No meu imaginário, sua forte presença me levava de volta no tempo. Magicamente, estou outra vez embevecida pelos sons de suas águas, sua forte correnteza... Eu, audaciosa, a ouvindo esbravejar. Para tal privilégio, foram necessárias coragem e determinação.

Todos os registros, portanto, se tornaram únicos, demasiadamente importantes. São parte da nossa história! Da história do país. Uma joia como outras tantas raras da indelével memória de Rondônia.

 

Biografia do Autor

Angella Schilling

 

Natural de Novo Hamburgo (RS), onde formou-se na Faculdade de Belas Artes (Feevale), foi influenciada pelo ambiente cultural da cidade de colonização europeia. Atraída por múltiplas possibilidades artísticas, começou pela xilogravura e depois, no Rio de Janeiro, capital em que viveu por 34 anos, passou para a gravura em metal e mais tarde para o desenho e pintura. Há 12 anos reside em Porto Velho, tendo feito pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior, na Faculdade Católica de Rondônia.

Na capital fluminense, criou projetos, pintura de outdoors e publicou calendários de arte, com gravuras em metal e desenhos, durante uma década. Também produziu capas de livro e ilustrações para editoras em São Paulo e Rondônia, bem como capas de revista e jornais, e participou da comissão de seleção da mais importante premiação de artes plásticas do Brasil, o Prêmio Marcantonio Vilaça (RJ), em 2015, representando o Norte do país.

Em Porto Velho, ministra palestras, cursos livres e oficinas de gravura, além de fazer curadorias para artistas plásticos. Membro fundadora da Academia Rondoniense de Letras, Artes e Ciências, já realizou 30 exposições individuais em diversos estados e na Alemanha, e participou de mais de 100 exposições coletivas, salões de arte e bienais no Brasil e vários países, conquistando prêmios de aquisição, primeiros lugares e menções especiais, entre outros.

Possui trabalhos em acervos brasileiros, como os do Museu Nacional de Belas Artes, Fundação Biblioteca Nacional e Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, e internacionais. Além disso, consta em publicações e dicionários de arte do Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e em livros e catálogos do exterior.

quinta-feira, 17 de junho de 2021

Lenha na Fogueira - 18.06.2021

 


Olha só que notícia boa:

*********

O vereador Aleks Palitot se reuiu                                com o presidente da Funcultural, Márcio Miranda, Secretário da SEMPOG, Luiz Guilherme Erse e o Secretário da EMDUR Gustavo Beltrame com o objetivo de concessão de subsídio para apoio aos artistas de Porto Velho. Promover e difundir a cultura e a arte em todas as suas manifestações.

 

************

Agora a Funcultural do Município de Porto Velho vai abrir Chamamento Público, visando credenciar artistas locais e concretizar os direitos culturais em âmbito municipal.

*********

O recurso de R$ 100 mil, será destinado a apoio aos artistas. O valor é oriundo de emenda do Município através da Fundação Cultural de Porto Velho.

**********

“Serão 115 artistas beneficiados, sabemos que os artistas estão parados por causa da pandemia, e planejar ações para dar incentivo aos nossos artistas da capital é de extrema importância para tentar de frear os impactos econômicos provocados pela pandemia. Ressalta Vereador Prof. Aleks Palitot.

 

 

**********

Mudando de PAU pra CACETE:

**********

Faustão deixa a Globo e Tiago Leifert assume de vez o Domingão.

**********

Após 32 anos, Faustão resolve antecipar sua saída da Rede Globo de Televisão onde apresentou até bem pouco tempo o “Domingão do Faustão”

***********

Domingo passado por motivos de saúde ele não apresentou o programa sendo substituído pelo Tiago Leifert.

***********

Agora, definitivamente Tiago Leifert vai assumir as tardes de domingo da TV Globo e fica até a estreia do novo programa que será apresentado a partir do próximo ano (2022), pelo Luciano Huck.

 **********

Terça-feira (15), Luciano Huck confirmou em entrevista ao programa “Conversa com Bial” que será o responsável por assumir o horário deixado por Fausto Silva.

**********

Não sei se o governador Marcos Rocha agiu de livre e espontânea vontade, ou apenas seguiu o que lhes foi sugerido por alguém, ligado ao governo.

**********

O certo foi que ele resolveu abrir de vez o Estado no que diz respeito as restrições que deveriam ser observadas durante a Pandemia da Covid 19.

**********

Vai abrir praticamente tudo. Apesar de no Decreto constar que as casas de festa, devem medir a temperatura dos seus frequentadores, tenho quase certeza que ninguém e nem o governo vai ter como fiscalizar tantas FESTAS.

**********

Fomos entregues às baratas, A partir da decisão do governador. É CADA UM POR SI E DEUS POR TODOS.

**********

Vamos ficar torcendo para que essa posição dê certo.

**********

Meu Deus, é muita falta de respeito para com a saúde da nossa população.

***********

Seja o que DEUS QUISER!

Projeto de Lei em homenagem ao ator Paulo Gustavo propõe injetar 4,3 bilhões no setor cultural


Primeiro setor paralisado pela pandemia da COVID-19 e possivelmente o último a retomar suas atividades, por lidar diretamente com aglomerações, a cultura é um dos setores mais afetados pelas consequências imediatas, de médio e de longo prazo decorrentes da crise sanitária no Brasil. Sob essa perspectiva, artistas e demais trabalhadores da cultura de todo o país recebem com entusiasmo e esperança a notícia da tramitação da Lei Paulo Gustavo no Senado Federal.

Criada como apoio emergencial aos agentes culturais afetados pela pandemia, o Projeto de Lei Complementar no 73/2021 propõe o investimento de R$ 4,3 bilhões para o setor até o final de 2022. Desse total, R$ 2,8 bilhões são destinados ao audiovisual, linguagem artística duramente penalizada pela paralisação da Ancine desde 2019.

De autoria do senador Paulo Rocha (PT/PA), senadora Zenaide Maia (PROS/RN), senador Humberto Costa (PT/PE), senador Jean Paul Prates (PT/RN), senador Paulo Paim (PT/RS) e do senador Rogério Carvalho (PT/SE), o projeto de lei tem como base três objetivos: salvar recursos do superávit financeiro do Fundo Nacional de Cultura (FNC) e do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) para aplicação no setor cultural e não para amortização da dívida pública da União; destravar os recursos do FNC e do FSA no orçamento de 2021 e vedar futuros contingenciamentos ou outras formas de limitações do empenho de ambos os fundos. Em sua integridade, o projeto visa criar ações emergenciais voltadas para artistas e o setor cultural no sentido de enfrentar os efeitos econômicos e sociais causados pela crise sanitária instalada no país.

Baseada no modelo da Lei Aldir Blanc (Lei 14.017/2020) e seguindo todas as regras orçamentárias, a Lei Paulo Gustavo prevê que a União transfira recursos (oriundos de fundos de apoio e da contrapartida de estados e municípios) aos estados, DF e municípios, com distribuição descentralizada e autônoma entre cada linguagem artística. Esse formato estabelece uma execução colaborativa e capilarizada entre estados e municípios, garantindo a participação efetiva da sociedade civil, dando ênfase ao Sistema Nacional de Cultura.

O PLP no 73/2021 também prevê a adoção de políticas que estimulem a participação e o protagonismo do público feminino, população negra, povos indígenas, comunidades tradicionais e quilombolas, LBTQIA+, pessoas com deficiência e outras minorias por meio de cotas, critérios diferenciados de pontuação ou

quaisquer outros meios que possam contribuir com a promoção da igualdade de gênero, raça e classe de acordo com a realidade local de cada território.

O senador Paulo Rocha, autor da proposta e líder do PT no Senado, junto com os demais colegas de partido, alertam para o caráter e a necessidade urgente de aprovação do texto. O parlamentar, além de pontuar a importância da arte e da cultura na vida das pessoas, frisa que este é um dos setores mais atingidos pela pandemia, apesar de sua relevante importância para o desenvolvimento econômico brasileiro.

"O setor cultural é de relevância crucial para o país. Mas, além da importância social, também tem uma dimensão econômica, sendo responsável por um montante de recursos equivalente a 2,67% do PIB brasileiro e envolvendo quase 6 milhões de pessoas no Brasil. São homens e mulheres que estão com orçamento zerado por não poderem trabalhar devido às restrições impostas pela crise, que pode ter ainda efeitos mais graves ano que vem”, explica o senador Paulo Rocha, que protocolou a matéria no Senado.

Articulado a partir de uma mobilização nacional em defesa das políticas culturais e da democracia, o PLP 73/2021 conta com o apoio de artistas, ativistas, gestoras, gestores, coletivos, organizações, redes, partidos, movimentos, organizações, trabalhadoras e trabalhadores da cultura de todas as regiões do país, além do movimento 342 Artes e da Mídia Ninja, com participação de grandes artistas e produtores da cultura nacional como Caetano Veloso, Regina Casé, Paula Lavigne, Christiane Torloni e Mônica Martelli.

Paulo Gustavo era um dos principais humoristasdo Brasil. Ator, diretor e roteirista, o artista faleceu no dia 4 de maio por complicações decorrentes da Covid-19. Entre suas principais obras está o monólogo “Minha Mãe é uma Peça”, que se tornou filme e o longa-metragem mais assistido no Brasil, em 2013, com duas continuações.

Transformar o projeto complementar em lei será uma homenagem não apenas ao ator, mas a tantos outros profissionais anônimos da área que faleceram em decorrência da Covid-19.

“Rir é um ato de resistência”. (Paulo Gustavo).

Lenha na Fogueira - 17.06.2021

 


 Vai La Sabido foi reconhecido nacionalmente.

**********

Até que enfim o humorista Djalma foi reconhecido com seu programa “Vai Lá Sabido” nacionalmente.

***********

Djalma conseguiu reconhecimento nacional, pelo seu trabalho com o personagem Doctor Silva no programa Vai Lá Sabido.

*********

O Projeto Vai Lá Sabido nasceu em 2012, porém, só a partir de 11 de setembro 2013 foi que surgiu o canal. Segundo Djalma a luta não foi fácil, pois as pessoas não acreditavam no projeto.

**********

Graças ao Quadro “Narrando a Cena” o canal ganhou visibilidade e agora consegue ser reconhecido nacionalmente. Parabéns ao amigo Djalma pela vitória.

*********

Quem bobou na audiência digital foi o nosso querido Bado. Ontem dia 16 nosso compositor, cantor e agitador cultural, Erivaldo Melo – Bado participou do podcast “Cantinho do Bar Brasil” apresentado pelo Hupomone Vilanova (Jones Pinheiro) e durante entrevista, Bado falou sobre sua trajetória artística musical, além de cantar algumas de suas canções (autorais).

*********

Por falar nisso, sexta feira passada ele deu uma palinha na Fina Flor do Samba do Ernesto Melo no Mercado Cultural. É isso aí meu amigo.

***********

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 será aplicado nos dias 21 e 28 de novembro. O cronograma do exame foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) em 2 de junho, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

*********

Os interessados em participar do Enem 2021, versão impressa ou digital, poderão fazer a inscrição no período de 30 de junho a 14 de julho, na Página do Participante.

**********

Todos os interessados em fazer o Enem 2021 devem se inscrever, independentemente de terem adquirido a isenção da taxa ou não, bem como terem realizado a justificativa de ausência no Enem 2020.

***********

O Inep ressalta que esses procedimentos não garantem a inscrição.

***********

‘Inté’ amanhã!

terça-feira, 15 de junho de 2021

Lenha na Fogueira - 16.06.2021


 

“Caminho das Águas”, projeto inédito envolvendo tecnologia, meio ambiente e educação, com patrocínio da Aegea Saneamento em Rondônia em parceria com as Secretarias Municipais de Educação das cidades de Ariquemes, Buritis, Rolim de Moura e Pimenta Bueno. A iniciativa promoveu oficinas gratuitas de produção de vídeo de curta metragem, a partir da técnica de stop motion, estimulando estudantes sobre a conscientização e o aprendizado da importância da água para o planeta.

********** 

O projeto reuniu professores da rede pública de ensino e reforçou a produção de conteúdo didáticos sobre o ciclo da água de forma lúdica e criativa com os alunos.

*********

O coordenador de Responsabilidade Social, Diecson do Prado da Aegea em Rondônia, explica que é uma oportunidade para que os professores desenvolvam novas formas de trabalhar conteúdos pedagógicos em sala de aula, despertando os estudantes a continuarem engajados e interessados pela educação e sustentabilidade de uma forma diferenciada de aprendizagem. “Ensinar sobre respeito à natureza é um legado que protege o meio ambiente, principalmente nossos mananciais de água”, contou.

*********

Para a criação do filme de curta duração (um a três minutos), os professores e educadores passaram por oficinas e formações continuadas (on-line) para aprender a fazer vídeos em stop motion gravados por celulares. O objetivo principal era reunir conhecimentos durante os encontros e colocá-los em prática na fase de criação dos vídeos.

***********

O projeto também disponibilizou gratuitamente para professores e escolas conteúdo complementar criado de acordo com os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

***********

O Caminho das Águas é um projeto da Zureta Filmes, com o patrocínio da Aegea Saneamento por meio da Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial da Cultura, vinculada ao Ministério do Turismo, do Governo Federal. Na edição deste ano, estão sendo contemplados profissionais da educação em 27 cidades de 11 estados.

**********

Os vídeos finalistas estão disponíveis para votação popular, até o dia 16 de junho no site https://www.ocaminhodasaguas.com/

**********

O resultado final será divulgado no dia 18 de junho. O filme mais votado premiará a escola com um projetor, a educadora ou o educador com um tablet de até 8 polegadas.

**********

O programa Caminho das Águas retrata, de maneira lúdica, a jornada de aprendizado e conscientização sobre a água e sua importância para a vida sustentável no planeta. O curta-metragem de animação em stop motion acompanha a curiosidade de dois amigos, o Macaco e a Capivara para pesquisarem o Ciclo da água, com uma abordagem educativa sobre o uso responsável da água e a preservação do meio ambiente. O filme estimula o público estudantil a criar ações de preservação dos recursos naturais. Todo o conteúdo em audiovisual é acessível com audiodescrição, legendas em closed caption e libras.

Evandro de Jesus apresenta seu trabalho em lives com repertório formado por forró, arrocha e pisadinha


Nascido em 1969 em Humaitá, Evandro de Jesus, começou na música profissionalmente em 1980, em 1988 veio para Porto Velho onde continuou suas atividades tocando na noite, fez parte da Banda Swing Country, onde tocou como instrumentista por 25 anos, hoje em dia atua em carreira solo tocando em eventos casa de shows etc. Domina diversos instrumentos dentre eles Violão, Viola, Sanfona, Teclado e etc, tocando todos os estilos de musicais, também atua como produtor musical desde 1991 tendo produzido mais de 200 artistas da região no Laser Estúdios que é de sua propriedade

Evandro de Jesus foi contemplado com um projeto da lei Aldir Blanc e com esse apoio dado pelo Governo Estadual, por intermédio da SEJUCEL e também pelo Governo Federal, produziu três lives apresentando músicas autorais em diversos ritmos que vão do forró, arrocha, pisadinha e até louvores, Evandro como multi-instrumentista mostrou seu talento tocando com primor diversos instrumentos, o artista também recebeu alguns convidados como, Franklyn Queiroz, Amancio de Lima e Talisson, sua banda de apoio contou com músicos de talento como, Renan Rover, Gilvan Alcântara, Leandro Lima e Francisco Victor.

Evandro de Jesus convida todos a acessarem sua página nas redes sociais Facebook e YouTube e prestigiarem suas lives.

Facebook: https://www.facebook.com/100001882828102/videos/5446022678803772/

YouTube: https://youtu.be/fO3i92IcU9o 

Quem quiser contratar o Evandro de Jesus para animar seu evento ou até para produzir seu disco ou gravações é só ligar para o número (69) 99238-3345